Enfermeira, dona do yourkshire morto, tenta se defender dizendo que está sendo ameaçada.

A Polícia Civil da cidade passou a investigar o caso. A enfermeira prestou depoimento disse que estava estressada com o cachorro. Ela pediu para responder apenas por crime ambiental. Na investigação policial, constam também os relatos de alguns vizinhos, que dizem que o cachorrinho já havia sido agredido pela dona outras vezes. Por estar colaborando com a polícia, ela não foi autuada em flagrante e deverá responder ao inquérito em liberdade.

Segundo Camila, ela não “apareceu antes” porque estava com medo. , o advogado de Camila, Gilson Sahad, disse que por causa das ameças, a cliente está sob proteção policial e precisou deixar a casa onde vive. 

O delegado responsável pelo caso, Carlos Firmino, afirmou que Camila confessou o crime e disse que não tinha raiva do animal. 

– Ela demonstrou que não sentia a gravidade do fato. Na cabeça dela, não foi considerado algo grave. A Camila disse que estava corrigindo o animal.  

Ainda de acordo com Firmino, policiais militares que recolheram o cachorro depois de ele morrer serão convocados a prestar depoimento. – Foi uma situação isolada. No depoimento, ela justificou que eles haviam saído para um restaurante e, quando retornaram, o cachorro tinha sujado a casa. Foi uma situação isolada, impensada. A cachorra era bem cuidada inclusive por veterinário.

Guarda da filha de enfermeira que matou yorkshire poderá ser contestada na Justiça

A enfermeira Camila de Moura Côrrea, 22 anos, que espancou até a morte um cachorro yorkshire na frente da própria filha, poderá ter a guarda da menina contestada na Justiça, diz informações do Bahia Notícias. Segundo informações do blog, o Conselho Tutelar de Formosa está acompanhando as investigações e aguarda a conclusão do inquérito para decidir qual procedimento adotará, já que o animal foi morto na presença da criança. A guarda poderá ser contestada, caso entendam que a enfermeira infringiu o artigo do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que trata como crime a exposição de crianças e adolescentes a vexame ou constrangimento. De acordo com o conselheiro Rafael da Silva Dias, a mãe e a filha deverão ser avaliadas por psicólogos nesta segunda-feira (19).  Familiares e o advogado da enfermeira afirmaram que ela estava em um “mau dia”, no momento da agressão e que ela está abalada. Já a vizinha, de acordo com informações do G1, afirma que as agressões a cadela eram diárias, desde que a jovem comprou o animal.

Uma opinião sobre “Enfermeira, dona do yourkshire morto, tenta se defender dizendo que está sendo ameaçada.

  1. O ECA tem que provar algo agora para todos os brasileiros decentes e de boa índole. RETIRAR A FILHA, POIS, COMO COMENTEI ANTERIORMENTE, NA FALTA DO CÃO, QUEM NOS GARANTE QUE A PRÓXIMA VÍTIMA DA IRA DA LOUCA NÃO SERÁ A CRIANÇA???????????

Os comentários estão desativados.